MUF na academia

Abaixo, listamos todas as referências bibliográficas de trabalhos sobre o Museu de Favela. Esta página foi atualizada pela última vez em 12 de fevereiro de 2016.

ALMEIDA, L. Museu e turismo: instrumentos de negociação de cidadania? : estudo de caso do Museu de Favela – MUF/Rio de Janeiro. Disponível em: http://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10206 Acesso em: 03 fev 2016.

BASTOS, T. Museu de Favela do Cantagalo, Pavão e Pavãzinho: sua relação com os moradores e a museologia social. Monografia de Produção Cultural. UFF. 2013 Disponível em: http://academico.tagcultural.com.br/wp-content/uploads/2013/05/0094.pdf Acesso em: 03 fev. 2016

CHAGAS, M. Museus, memórias e movimentos sociais. Cadernos de Sociomuseologia – Questões Interdisciplinares na Museologia. Lisboa: Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, n. 41, p 5-16, 2011.

CICCO, C. Casa-Tela: uma narrativa a céu aberto. Rio de Janeiro: UFRJ, 2012.119p. DISSERTAÇÃO (Mestrado em Artes Visuais) Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2012.

FERREIRA, S; ARCO, D. De pichação à manifestação artística: Um estudo foz grafittis de ACME 23 no âmbito da folkcomunicação. Políticas Culturais em Revista. 2(2) p. 155-168, 2009. Disponível em: Acesso em: 05 fev. 2016.

MACHADO, M. Polymedia e culturas juvenis: estudo de caso em uma favela carioca. Revista Z Cultural. Ano X 01. Disponível em: http://www.animatico.com.br/projetos/zcultural/polymedia-eculturas-juvenis-estudo-de-caso-em-uma-favela-carioca/ Acesso em: 03 mar. 2016.

_______________. Digital Anthropology and Youth Culture in Favela: digital activism. Proceedings of 2nd European Conference on Social Media. School of Accounting and Administration at the Polytechnic Institute of Porto, Portugal. 2015.

MORAES, C. Museu de Favela: pensando o turismo e patrimônio no Pavão, Pavaozinho e Cantagalo. Rio de Janeiro: UERJ: 2011, 131 p. DISSERTACAO (Mestrado em Ciências Sociais): Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2011.

___________. Turismo e o Museu de favela: um caminho para novas imagens das favelas do Rio de Janeiro. Revista Eletrônica de Turismo Cultural. vol. 4, n 01, 2010.

MONTEIRO, R. – Movimentos urbanos: o graffiti como arte de rua na cidade do Rio de Janeiro. Lisboa: ISCTE, 2011. Dissertação de mestrado. Disponível em https://repositorio.iscte-iul.pt/handle/10071/4596

______________. O Rio que eu não conhecia. In: A memória das favelas. Comunicações do Iser, Número 59, Ano 23, 2004. pp. 81-86.

PINTO, R.; SILVA, C.; LOUREIRO, K. (org). Circuito das Casas-Tela, caminhos de vida no Museu de Favela – 1. Ed. Rio de Janeiro: Museu de Favela, 2012.

PINTO, M. Os desafios da governança no Museu de Favela: quando o público alvo se transforma em gestor da cultura local. Rio de Janeiro: UFRJ, 2012.

RODRIGUES, F. Registros de memória em arte fugaz: O Grafitti das Casas-Tela do Museu de Favela (2010-2014). DISSERTACAO (Mestrado em Memória Social) Rio de Janeiro: UNIRIO: 2015, 264 p

______________. Observação Participante no Museu de Favela –RJ: Reflexões sobre o turismo em um Museu de Território. Curitiba, v. 3, p. 30-52, jan./dez. 2014

_____________. Pensando o graffiti como atrativo turístico: o olha do grafiteiro e o caso do circuito Casas-Tela em Pavão-Pavãozinho e Cantagalo. Itinerarium. v 1, n.1, 2013.

SANTOS, R. Becos e Vielas do Museu de Favela. Cadernos do CECOM. V. 27 p. 41 Disponível em: http://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/rcc/article/view/2611. Acesso em: 03 fev. 2016.

SILVA, L. A. Museu e Turismo: instrumento de negociação de cidadania? Estudo de caso do Museu de Favela – MUF/Rio de Janeiro – RJ. (DISSERTACAO) Mestrado em Antropologia. Recife: Universidade Federal de Pernambuco, 2012.